Quem nunca se sentiu pressionado pra conseguir concluir todos os objetivos do jeito perfeito?

Às vezes, queremos tantas coisas e fazemos tantos planos que na hora de colocar tudo em prática sentimos algum bloqueio e as coisas não fluem como gostaríamos.

Ou então até começamos a agir, mas paramos no meio do caminho achando que algo está errado.

É como se algo nos dissesse que só é possível continuar quando tudo estiver perfeito. Ou que só ficaremos satisfeitos se os resultados finais forem melhores que o esperado.

O problema é que raramente a situação fica “perfeita” o suficiente pra finalmente colocar as mãos à obra.

Esse é um tipo de sabotagem imposta pela autocrítica excessiva.

Ela vem disfarçada de perfeccionismo, rigidez ou por aquele desejo de dar o melhor, e é muito mais comum e prejudicial do que se pensa.

  • “Eu tenho que fazer do melhor jeito!”
  • “Eu mereço o melhor!”
  • “Se não for perfeito, nem vale a pena ser feito.”

Essas são algumas frases mais clássicas que justificam a sabotagem através do perfeccionismo e mantém pessoas inertes e insatisfeitas com planos não concluídos.

O Lado Bom da Imperfeição

Mas você já parou pra pensar no que é bom o suficiente?

Será mesmo que almejar a perfeição é tão bom assim? Ou será que ela exige energia demais?

Claro que sempre precisamos almejar o extraordinário, mas é muito importante tomar cuidado para isso não virar uma obsessão que acaba bloqueando nossas ações.

Pensar demais na perfeição exige energia e nos tira do presente. Pode tirar nosso poder de ação que existe no agora e manda sinais confusos ao Universo.

Afinal, você quer andar consistentemente na direção das suas realizações ou só ficar idealizando na maior parte do tempo?

Quando você se sentir sem motivação para começar ou continuar algum projeto, faça uma reflexão sobre seus possíveis resultados:

  • O que é ruim?
  • O que é 80% bom?
  • O que é perfeito?

Perceba que buscar a perfeição nesses casos vai ser muito mais difícil e talvez não traga resultados tão melhores assim do que aquilo que é 80% bom.

O tempo e energia gastos para atingir a perfeição são enormes.

Imagine o quanto você pode produzir e conquistar se decidir utilizá-los para dar sequência em todas as outras coisas na sua vida que merecem atenção.

Lembre-se que seu subconsciente não sabe o que é certo, bom ou ruim. Cabe a você decidir isso. Caso contrário, ele sempre ficará insatisfeito. Alvo acertado com tiro perfeito no meio com figuras comemorando.

Como bem disse o poeta espanhol Antônio Machado:

O caminho se faz ao caminhar.

Ou seja, é melhor ir caminhando em vez de planejar sua rota incessantemente. Só planejá-la não é tão real quanto percorrê-la.

Portanto, pense no que é bom o suficiente e aja em direção a isso.

Você irá se surpreender com a rapidez com que sua vida irá avançar quando adotar esse tipo de mentalidade.

E, quando conseguir se esquecer da perfeição, verá que finalmente conseguiu alcançá-la justamente porque não se preocupa mais com ela.

Se você ainda achar que precisa de uma forcinha no dia-a-dia pra encontrar o que é bom o suficiente, confere o e-book do Vida em Sintonia. Tem uma mensagem pra te animar a cada dia do ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *